Entre em contato por:

garotadepersonalidades@gmail.com

domingo, 16 de abril de 2017

Eu e "Thirteen Reasons Why"

Ooi!

Sei o quanto "Thirteen Reasons Why" está sendo comentada. E não é atoa, já que a série está incrível. Mas não vim fazer uma resenha. Não dessa vez. Queria comentar sobre o efeito que ela teve em mim.

Eu li o livro no início de março e assisti a adaptação no início de abril. Quando terminei de ler, eu favoritei o livro na hora. A história me conquistou. E claro, fiquei com tudo aquilo em mente. A primeira coisa que pensei foi que queria ter sido amiga da Hannah, que talvez mudasse a decisão dela, ou quem sabe nada tivesse acontecido e ela nem pensasse em algo assim. Mas em seguida veio em mente: "Mas e se eu fosse um porquê? Se fizesse algo estúpido o suficiente para ser o motivo 14?". Então, depois, tudo que queria fazer era ser gentil com as pessoas. Basicamente isso.

Mas aí veio a série. O que ela me causou foi bem mais forte. Sofri pela Hannah, sofri pelos outros (nem todos). E tive alguns medos. Eu não queria ser a Hannah; não queria ter seu fim. Eu passo dias bem tristes às vezes, mas nunca tive um pensamento relacionado à morte. Mas muitas vezes pode ser involuntário. Tive medo de a tristeza me dominar em algum momento. Então resolvi afasta-la, sempre que possível. Um dos objetivos da história é esse, mostrar que a vida vale a pena. Por isso, devemos ser felizes, e muitas vezes só depende de nós.

Medo número dois é o que mais estou vendo por aí: "Não seja um porquê". Eu não quero ser o motivo de ninguém. Quando voltar pra aula, por exemplo, não vou ser mais a mesma. Eu vou observar todos com um jeito diferente. Não quero tratar mal ninguém. Não quero mais rir de piadas que afetam alguém. Me assombrou tanto lembrar que eu ria de uns comentários tão idiotas. Eu não sou uma pessoa terrível, não que eu ache. Mas sabe a cena onde ela diz que a pessoa pode não ter dito nada, mas apenas observou e não teve atitude para mudar o erro, algo mais ou menos assim? Foi uma cena que me afetou. Me sinto um lixo por isso. Mas não quero mais ser um. Quero ser gentil, mais do que já tenha sido. E além disso, quero enxergar as Hannahs. Poder e querer ajuda-las. Pode ter uma em qualquer lugar. E me doi pensar que eu posso não perceber seus sinais, ou não ter sido legal em algum momento. 

Essa história mudou minha vida. Meus pensamentos tenho certeza que sim, agora preciso concretizar e mudar minhas ações também.

Nenhum comentário:

Postar um comentário